[ busca ] [ b / mod / d ] [ cri / mu / lit / comp ] [ tv / an / jo / occult / k ] [ porn / tr ] [ tudo / banlist / arquivo ] [ regras / faq / biblioteca ]

Catalog (/lit/)

Ordenar por: Tamanho da imagem:
R: 0 / I: 0
A ave sai do ovo, ovo é o mundo, para nascer é preciso destruir o mundo. A ave voa para deus e o deus se chama ABRAXAS.

NT: livros que te fizeram refletir sobre sua existência.
R: 34 / I: 2

POSTEM LIVROS EM PDF

Biblioteca Realchan.
https://realchan.neocities.org/

Boas novas, anões! Como prometi aqui: >>>/b/11478 fiz uma biblioteca para o Real, nada muito elaborado, eu literalmente copiei o código de um projeto abandonado do 55 e fui catando pdfs por aí.
Irei manter a biblioteca atualizada e pretendo criar a tal revista lá pro fim do mês. Como é um projeto colaborativo, peço que os anões que saibam programar melhorem o código e que qualquer um envie links de pdfs no anonfiles.com, para que adicione no acervo.
Também aceito colunas, manodicas e qualquer coisa interessante/engraçada para por na revista!
R: 4 / I: 12

Olá a todos.

Eu preciso desse livro da pica.
Por favor, me ajude!
Em trocar, vou colocar alguns pdf.
AMOR SEM REGRAS PARA VIVER
Livro por Rosana Braga.
R: 3 / I: 2

Agatha Christe fio!

Podemos ter um fio sobre discussões e recomendações sobre a depósito escritora mais caralhuda da literatura?

Eu começo com um dos meus favoritos. Oito pessoas são convidadas por razões diferentes, a se apresentarem em uma casa isolada localizada em uma ilha, chegando lá encontram com um casal de mordomos totalizando agora, dez pessoas. Misteriosamente cada uma dessas pessoas vai morrendo até que não sobre ninguém "E Não Sobrou Nenhum". E o mais genial, todas as mortes acontecem baseadas neste seguinte poema:

"Dez soldadinho saem para jantar, a fome os move;
Um deles se engasgou e então sobraram nove.

Nove soldadinhos acordados até tarde, mas nenhum está afoito;
Um deles dormiu demais, e então sobraram oito.

Oito soldadinhos vão a Devon passear e comprar chiclete;
Um não quis mais voltar, e então sobraram sete.

Sete soldadinho vão rachar lenha, mas eis;
Que um deles cortou-se ao meio, e então sobraram seis.

Seis soldadinhos com a colmeia, brincando com afinco;
A abelha pica um, e então sobraram cinco.

Cinco soldadinhos vão ao tribunal, ver julgar o fato;
Um ficou em apuros, e então sobraram quatro.

Quatro soldadinhos vão ao mar; um não teve vez,
Foi engolido pelo arenque defumado, e então sobraram três.

Três soldadinhos passeando no zoo, vendo leões e bois,
O urso abraçou um, e então sobraram dois.

Dois soldadinhos brincado ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então sobrou só um.

Um soldadinho fica sozinho, só resta um;
Ele se enforcou,

E não sobrou nenhum.

Caso algum anão tenha outra recomendação de outras obras da mesma escritora ou estilo literário, ficarei agradecido por experimentar mais uma leitura.
R: 3 / I: 6
Salvando para a posteridade.
R: 8 / I: 1
ESCRITORES FIO

Uma das maiores angústias do escritor amador é não ter ninguém para mostrar seus escritos, quiçá fazer uma crítica sobre eles.

Criando este fio, desejo amenizar a minha e, provavelmente, a sua dor. Vamos conversar, trocar figurinhas. Poste seus textos e avalie o texto de algum anão, de preferência aqueles que não receberam nenhuma crítica.


TL;DR: Avalie e seja avaliado, o fio.
R: 2 / I: 0

/BIBLIO/TECA CYBERCOMUNISTA

Fio repleto de links com livros pirateados de todos os assuntos. Apesar do nome, não é um fio apenas para livros comunistas, por isso estou postando aqui (há, inclusive, links até mesmo para obras fascistas): http://bit.ly/bibliotecacybercomunista
R: 9 / I: 3
/r/ mais livros desse estilo.
R: 20 / I: 9
O(s) último(s) livro(s) que você leu e sua respectiva avaliação.
R: 7 / I: 0
Há mais de um ano eu venho escrevendo alguns poemas
e, como já possuo um numero considerável, pensei em compartilhar as primeiras 160 páginas aqui na esperança de serem úteis para algum anão, ou, ao menos, receberem alguma crítica. O meu estilo é ultrarromântico e simbolista. Eu decidi colocar junto ao pdf o prefácio que escrevi, embora saiba que ele criará desconfianças pelo que afirmo nele, mas, mesmo assim, ele é essencial para a compreensão do porquê escrevo e como escrevo.

https://anonfile.com/f7CcDd34n6/AMBIPATHOS_pdf
R: 7 / I: 1
NT: Pedidos, sugestões e identificações literárias.

Concentrem suas dúvidas aqui.
R: 5 / I: 1
POESIA FIO

Convido os anões interessados em expressão poética a discutirem quaisquer aspectos linguísticos que lhes atraem a atenção, principalmente, em autores brasileiros e portugueses. Tenhamos como objetivo fundamental ajudarmo-nos uns aos outros a compreender melhor os elementos que constituem a poesia — ritmo, escolha vocabular, imagética etc.

Não entendo nada de poesia. Por onde devo começar?
Não há caminho correto, mas a leitura dos clássicos é indispensável. A tríade portuguesa — Camões, Bocage e Antero de Quental — é o começo ideal. Se considerá-los de difícil leitura, pode tentar poetas mais próximos à linguagem atual, como Manuel Bandeira, Castro Alves, Jorge de Lima, Augusto dos Anjos, Alphonsus de Guimaraens e Fernando Pessoa.

Como ler poesia?
Num primeiro momento, prestar atenção às impressões que o poema evoca; num segundo, buscar o porquê por trás dessas impressões — por que esta e não aquela palavra?, por que o hipérbato e não a ordem direta? etc. Porém, para quem está começando, o importante é atentar-se às características sonoras, principalmente, ritmo e entonação.

Que poemas você recomenda a quem está começando?
Camões: Alma minha gentil, que te partiste, Sete anos de pastor Jacó servia e Aqueles claros olhos que chorando.
Manuel Bandeira: Epígrafe, Desencanto e Chama e fumo.
Castro Alves: Adormecida e Canção do boêmio.

Sites que podem vir a calhar:
https://archive.org
http://www.aulete.com.br/analogico
R: 19 / I: 13
CONTO PRA BOI DORMIR

Estarei bumpando um conto por dia. Digo de antemão que tenho um material excelente e que pode durar meses.

Creio que este fio ajudará aos anões que tem certo amor pelo conhecimento, mas não conseguem sentar e ler grandes romances. Talvez, lendo estes contos relativamente pequenos, tomem gosto pela coisa e sintam que vale a pena o esforço para buscar mais luz. Sinta-se livre para postar contos e discutir sobre os postados.

Começarei com um conto de Achille Campanile, "O cachorro filósofo.". Para manter o espírito do texto, tive que upa-lo em arquivo word. Sinto que fazer o contrário seria lacerar a experiência. Vocês entenderão depois de ler.

Arquivo: https://anonfile.com/q0cbBaw1na/O_CACHORRO_FIL_SOFO_docx
Pode confiar: https://www.virustotal.com/gui/

BIOGRAFIA

Anchille Campanile nasceu em Roma, em 1900. Dedicou-se ao romance e ao conto, tendo publicado, desde o ano 1927 em que saiu "Ma che cosa quest'amore" uma série de grande obras caracterizadas pelo tom humorístico. Sobre o humor em Ariosto publicou também um excelente ensaio em 1933. Alguns de seus livros tem sido traduzidos para o francês e para outra línguas europeias.
Participou do movimento futurista e fez-se conhecido pelo absoluto ineditismo de seu espírito, em que entra muito de absurdo e algo de cinismo inerente à tradição cômica italiana. Seu estilo elegante e o partido que sabe tirar do desenvolvimento lógico e convencional da mais tranquila fantasia angariaram-lhe uma popularidade excepcional em toda a Europa.
Entre aas suas obras mais conhecidas, merece especial menção "Agosto, moglie mia non ti conosco", a mais espantosa talvez de suas novelas e também a mais solidamente construída.